Filmes do Mês das Bruxas (2020)

E lá se foi o quarto ano de maratona de filmes de terror no mês de outubro. Sempre faço um post para comentar um pouco dos filmes que vi.

Comecei com Buffy, a Caça-Vampiros. Por que eu fiz isso comigo mesma? Para gravar um episódio do The Witching Hour. Não foi de todo ruim, mas foi uma experiência um tanto bizarra. Revi Tales of Halloween, também para o podcast, e amei ainda mais dessa vez. A mulher sem cabeça, da maravilhosa Lucrecia Martel não é um filme de terror propriamente dito, mas tem vários elementos do gênero. Eu e a Jéssica conversamos com a pesquisadora Natália Christofoletti Barrenha e para mim esse foi um dos melhores programas!

A mulher sem cabeça

Vi alguns filmes que eu gostei, mas não achei nada demais, como Peninsula, continuação de Train to Busan. Vi um pessoal falando muito mal dele, mas eu achei bem OK. Spiral foi outro nessa pegada. Um casal gay se muda com a filha deles para uma cidadezinha tranquila e aos poucos começam a acontecer uma coisa bem estranhas. O filme lida com questões de homofobia e racismo. Gosto bastante de ver o terror tratando desses assuntos.

Tirei um dos dias para ver filmes de vampiro e escolhi três bem diferentes: Nadja, The Transfiguration e The Addiction. Amo os vampiros clássicos de Bela Lugosi e Christopher Lee, mas de vez em quando é bom apostar em filmes que mudam completamente as lendas. Esses três são ótimos exemplos.

Vi muitos filmes dirigidos por mulheres, e um deles se tornou um dos melhores do ano para mim: 12 Hour Shift da Brea Grant. Escrevi sobre ele no Cine Varda. Não canso de recomendar esse filme. Outros dois bem legais que vi foram M.O.M.: Mothers of Monsters e Darlin’. Também escrevi sobre ambos lá no site que mantenho com a Manu. Sea Fever também foi um filme bem bacana. Adoro tudo que se passa no mar.

12 Hour Shift

Vi poucos filmes antigões, mas gostei bastante de alguns que vi. Dolls do Stuart Gordon foi um deles. Eu tô completamente apaixonada por esse filme! Revi Desafio do Além, que é baseado no livro A Assombração da Casa da Colina da Shirley Jackson (releitura que resenhei aqui no blog). Assisti The Changeling, que aqui saiu com o lindo nome de Intermediário do Diabo e gostei muito. Vi também o japonês House que é uma das coisas mais insanas que já assisti e acho que gostei.

Citando rapidamente os que eu não curti: o remake de A Hora do Pesadelo (nada contra remakes, mas esse aqui é ruim demais), The Driller Killer (classicão e tal, mas eu achei chato), Hard Rock Zombies (farofada que tinha tudo pra eu gostar, mas achei maçante) e Daughters of Darkness (a única coisa que salvou foi a perfeita Delphine Seyrig).

Escolhi terminar o mês com dois remakes: The Craft: Legacy e The Witches. Passei o tempo de ficar esperneando por causa deles e agora tento apreciar. Os dois são bons? Não. Eu gostei? Sim. Me diverti com a breguice, gostei de como as minhas lembranças da juventude foram mudadas e é isso.

Como sempre, me diverti muito com essa maratona. Terror é meu gênero preferido e é ótimo me dedicar um mês inteiro a ele.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s