Temporada de furacões, de Fernanda Melchor

Temporada de furacões é o terceiro livro da mexicana Fernanda Melchor, originalmente publicado em 2017, foi lançado no Brasil neste ano pela Editora Mundaréu, com tradução Antônio Xerxenesky. Em 2019 o livro foi vencedor do International Literature Award e no ano seguinte foi finalista do International Booker Prize. Esse é outro caso em que li muito a respeito da obra e estava ansiosa para que chegasse aqui logo.

A história, contada em terceira pessoa, começa com o assassinato da Bruxa de La Matosa, no México. A narrativa vai e volta no tempo. Aos poucos vamos conhecendo cada pessoa que estava ligada, direta ou indiretamente, à Bruxa. Uma coisa bem interessante da escrita de Melchor é que ela não usa parágrafos. A escrita é bastante fluída, lembrando a tradição oral, com uma linguagem coloquial, sem pausa para respiros e acho que isso casou perfeitamente com a temática do livro.

La Matosa é descrita como uma pequena cidade no México e a Bruxa era uma pessoa bastante respeitada, e temida, por todos. Além de tudo, ela era conhecida por promover certas festas na sua casa decrépita. Ninguém sabe seu nome, quando sua mãe era viva, ela a chamava apenas de Menina ou coisa do tipo. Ninguém sabe seu nome, mas todos recorrem a ela, ainda mais em caso de abortos.

Yesenia vivia perto da Bruxa, junto com sua avó e primos. Ela odiava um deles, Maurilio (também chamado de Luismi) porque apesar de ser alcoólatra e viciado em drogas, era o preferido da avó. Em dado momento, ele sai de casa e vai viver com sua mãe, Chabela, e o padrasto, Munra. No dia do assassinato, Yesenia vê o primo na frente da casa da Bruxa junto com outro homem carregando uma pessoa. A prima vai então à polícia e conta o que viu.

Munra também é preso, e ele conta à polícia sobre o dia que ele levou Norma, esposa de Luismi para o hospital, pois ela sangrava muito. Ambos fogem do hospital quando descobrem que ela tinha apenas 13 anos. Norma chegou a La Matosa grávida de seu padrasto, após fugir de anos de abuso. Luismi a encontra e a leva para casa. Chabela ao perceber a gravidez da nora, a leva até à Bruxa, para que esta resolva o “problema”.

Aqui o leitor começar a juntar as peças dessa história, que vai e volta no tempo, mas traz explicações ao enredo, além de expor toda a violência à qual mulheres, sobretudo as pobres, são submetidas. O machismo e a falta de oportunidades tornam os homens agressivos e ignorantes, ainda mais aqueles que escondem seus desejos e vontades.

Melchor teve a ideia de escrever esse livro após ler a notícia do assassinato de uma mulher cujo corpo foi encontrado num canal na cidade de Veracruz (onde ela nasceu). O assassino disse que cometeu o ato porque ela havia tentado enfeitiçá-lo. A autora pensou em escrever um livro de não-ficção sobre o caso, mas ela desistiu porque teria que fazer pesquisas na cidade, e lá há uma grande movimentação de tráfico de drogas. Assim nasceu a ideia de Temporada de furacões.

Esse é um livro que fez eu me apaixonar ainda mais pela literatura latino-americana, que tem apresentado ao mundo diversas escritoras maravilhosas. como Mariana Enriquez, Samantha Schweblin e Pilar Quintana. Temporada de furacões me lembrou um pouco Reze pelas mulheres roubadas, de Jennifer Clement. Ambos os livros exploram a violência a que mulheres mexicanas são submetidas.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s